19.7.11

Como escolher o meu Mestrado em Psicologia?

Postado por Marcus Vinicius Alves |

Recentemente um tópico me foi sugerido para a postagem aqui no Cogpsi, um post com dicas para se encontrar um programa de pós-graduação ideal para o mestrado na área do seu interesse. Reservo-me à impossibilidade de desvincular este post das minhas idiossincrasias e do que fiz para encontrar o local ideal para o meu próprio mestrado, então, aqui não vai um manual, mas sim mais uma opção de consulta. E como cada área possui suas necessidades específicas, me atenho às dicas concernentes à Pós-graduação em Psicologia.

Primeira pergunta: O que você quer?
Mestrado (acadêmico e profissionalizante), especialização, aperfeiçoamento, residência. A verdade é que existem diversas opções para pós-graduação e é preciso saber o que se espera em cada uma. Se você deseja fazer pesquisa e seguir carreira acadêmica o mestrado é a sua pós-graduação ideal, mas caso tenha interesse em trabalhar e não se veja dando aulas, talvez uma especialização tome menos o seu tempo e lhe permita flexibilidade para trabalhar e/ou não precisar se mudar para fazê-lo (alguns cursos tem aula uma vez por mês).
As diferenças sobre os tipos de pós-graduação podem ser encontradas na Wikipédia e no site da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), por sinal, o site da Capes é excelente e o esmiuçando é possível ver muita coisa interessante sobre pós, como bolsas, concursos e afins.

Eu quero um Mestrado, mas onde buscar?
Sempre aconselho a busca no site da capes na sessão de cursos recomendados como um bom ponto de partida.

Lá é possível encontrar um sistema de busca por área, nota da avaliação da Capes ou região para todos os programas de mestrado e doutorado do país, com dados básicos, dados da avaliação trienal, área do programa e especificações.

Lembre-se, os cursos são avaliados pela Capes com notas que vão de 3 à 7, costuma-se dizer que as notas seguem uma lógica onde 3 seria a nota inicial, 4 para cursos bons, 5 para cursos de excelência nacional, 6 para cursos de nível internacional e 7 para cursos com excelência internacional. A nota é importante, ela é um reflexo das atividades e visibilidade do programa. Programas com altas notas na Capes possuem grande produtividade, programas 6 e 7 conseguem possuem alta produtividade internacional. Programas com notas altas possuem também mais bolsas cedidas pela Capes/Cnpq, e, provavelmente, se envolvem em atividades extra curso – como grandes congressos – com mais frequência.

Procure em todo lugar
É preciso ter cuidado para não deixar nenhum programa escapar, é interessante olhar programas de outras áreas além da psicologia. Como exemplo, o mestrado em Psicobiologia da Unifesp, capes 7, não está na área de ciências humanas e psicologia, mas sim na área médica II , apesar de ser constituído por profissionais e estudantes com diversas formações. Ou seja, procure em outros lugares, o Google está aí para isso, pense em um tópico que lhe interesse e pesquise, provavelmente você encontrará algo interessante, depois retorne ao site da Capes e analise cada particularidade – não esqueça de ver se ele é reconhecido pela Capes! – do programa que você quer concorrer.

Importantes tópicos para observar durante essa pesquisa: Avaliação da Capes, Ficha de Avaliação, Disciplinas, Linha de Pesquisa e Proposta do Programa.

E meu currículo?
Normalmente se espera de um estudante de mestrado independência, mas não necessariamente um grande conhecimento das pesquisas e métodos de pesquisa de vanguarda na área, apenas o suficiente para o orientador saber que você saberá andar com suas próprias pernas – lembre-se que você também assistirá aulas e lá serão abordados esses temas – e justamente por isso se opta por aqueles que já possuam iniciação científica. Claro, a pós não é restrita apenas para os já iniciados, mas há sim uma preferencia. Ter sido bolsista de um grupo de pesquisa durante algum tempo costuma ser uma garantia que você, além de já possuir familiaridade com pesquisa em si, também possui familiaridade com burocracias que estão sempre presentes na produção de relatórios, artigos, trabalhos etc. Mas se você nunca participou de um grupo de pesquisa não se desespere, esse é só um dos pontos da seleção.
 
Falando nisso, lembre-se de analisar todo o processo da seleção, cada programa tem uma seleção particular, alguns exigem um período de estágio para que o orientador o conheça, outros só aceitam sua inscrição para a seleção com um projeto bem definido. Visitar o site do programa é obrigatório, provavelmente – quase – tudo estará lá, e o que faltar você vai poder correr atrás para descobrir.


O que é imprescindível?
Conversar com os que já estão dentro com certeza é fundamental. Antes de pensar em fazer um projeto, converse com o orientador, se apresente, veja a disponibilidade dele e o interesse dele. Além de evitar futuras frustrações, é bem educado.

Pergunte ao pós-graduando. Alunos de pós costumam ser solícitos com outros que pretendem enveredar pela mesma área, então abuse, pergunte o tempo todo, não faça uma escolha desse tamanho sem antes tirar todas as suas dúvidas.

Achei o programa ideal, mas é longe...
Sair de sua cidade é difícil... Mas saia! O Brasil possui 5564 cidades e apenas 65 programas que possuem Mestrado em Psicologia (somente os das Ciências Humanas) reconhecidos pela Capes e acredito que dificilmente você terá a sorte de ter um programa de excelência na área que você pretende enveredar e com o tipo de linha de pesquisa que você quer focar em sua cidade natal ou mesmo na cidade de sua Universidade. Escolher por não passar algumas dificuldades no início da sua carreira pode sair caro futuramente.

A escolha pelo local ideal para iniciar sua carreira de pesquisa e/ou ensino é sim uma escolha um pouco complicada, mas nada muito terrível, e acredito que investigando bem é fácil encontrar o que se deseja. Escrevi algumas das considerações que julguei mais importantes, mas os convido a fazer perguntas e recomendações pelos comentários, é muito mais interessante ajudar os que ainda estão um pouco confusos por lá.

Há muito o que se discutir: Bolsas, Doutorado Direto, Publicação, Oportunidades de Emprego etc.

Comentem e compartilhem! Sigam o Cogpsi no twitter e curtam no Facebook.

18 comentários:

André L. Souza disse...

Olá Marcus,

MUITO bom o assunto que você abordou. Com o crescimento da pós-graduação no Brasil, encontrar um programa de qualidade e que satisfaça as expectativas é essencial. Vou enfatizar dois pontos que eu acho importantes: converse com o orientador de interesse! Faça isso MESMO! E depois, converse com os alunos que estão no programa. Apesar de a avaliação da CAPES ser um bom parâmetro, ela é bem limitada e enviesada em alguns aspectos.

A maneira como "produtividade" é avaliada, por exemplo, é muito diferente do que se encontra em padrões internacionais. O que acaba acontecendo é que "no papel" um conceito 7 é de excelência internacional, mas DE FATO, o programa pode ser fraco qdo comparado com os programas internacionais. Mas reconheço a importância da avaliação da CAPES como parâmetro inicial. Mas para saber a fundo sobre os programas, converse com quem está dentro ou com quem passou pelos programas que procura.
Procure ver/conhecer onde os ex-alunos se encontram agora. O índice de sucesso APÓS a saída do programa pode ser um fator importante no processo de decisão.
E ressaltar que existem boas oportunidades internacionais também. A depender da área e dos interesses, essa pode ser uma escolha mais sensata!

De novo, MUITO BOM e revelante a sua postagem, Marcus. E se algum leitor quiser também saber algo sobre oportunidades internacionais (bolsas, sanduíches, programas, etc...) fique a vontade para divulgar meu email!
Parabéns pela postagem!
A.

Hyck disse...

Vocês já viram a série Lie To Me? Qual a especialização em Psicologia pra poder seguir essa area?

Grato: Henrique Oliveira ( @hick19 )

Aline disse...

Nossa, Marcus, adorei o post! Muito esclarecedor.

Eu mesma tô passando por esse desespero de escolher a área de mestrado, tô entre ficar ou sair da minha cidade, a pressão de me aproximar de um tema...

Ler algo assim me ajudou bastante :)

Marcus Vinicius Alves disse...

Olá André, valeu pelos elogios. Concordo com você, a avaliação da Capes não é o suficiente para escolher um programa, é apenas um bom indicativo. Espero que você volte aqui para responder eventuais perguntas que as pessoas fizerem.

Valeu Aline, a gente sabe que sair da cidade é difícil, muito complicado deixar amigos, família, casa dos pais, rotina já estabelecida etc. Mas eu acredito muito que vale a pena, sabe? Ou vai valer, não sei. Ouvi poucos testemunhos de pessoas que se arrependeram de dar esse passo (sejam professores hoje com 50 anos ou recém-graduados com 25).

Marcus Vinicius Alves disse...

Hyck, o que é mostrado na série "Lie to Me" na verdade não seria uma especialização específica, mas sim uma linha de pesquisa. Tenho dois colegas que estudam reconhecimento de emoções em um programa de neurociências, mas relacionados a pacientes com lesão hipocampal. Acredito que programas de neurociências e neuropsicologia, cognição e psicologia criminal seriam os mais indicados para você procurar alguém que trabalhe com isso. Já li uma dissertação de mestrado no programa de neurociências da Unb que trabalha com isso também, mas relacionado à doença de alzheimer, ou seja, aqui no Brasil você terá que procurar um programa que investigue esse tópico com algum outro importante. Meu conselho é que você analise os projetos em que os professores estejam envolvidos e procure algo próximo a "percepção de faces", "reconhecimento de faces", "reconhecimento de emoções".

Fora do Brasil pode haver estudos mais próximos ao da série, envolvendo uma perspectiva "criminal", como em Manchester (se não me engano, as Universidades de lá são bem direcionadas para a Psicologia criminal).

Caso você tenha maior curiosidade pelo trabalho do pesquisador Paul Ekman, estudioso do reconhecimento de expressões faciais e inspirador da série, visite o site dele http://www.paulekman.com/.

Isadora disse...

Nossa!! Nem acreditei quando vi a postagem. Justamente hoje eu estou longe da minha cidade visitando a UnB com a intenção de conhecer os professores de mestrado pra me darem orientação à minha seleção. Esse post caiu como uma luva. Muito obrigada! A propósito, tenho interesse em saber sobre o PDD. Você pretende escrever sobre?

André Rabelo disse...

Marcus,

muito bacana vc levantar essa questão e muito bom o seu texto, da noções gerais e informações muito relevantes para o tema. Os pontos levantados pelo meu chara André são também muito importantes, o nosso sistema de avaliação de produção acadêmica de um modo geral é muito defasado e da prioridade para quantidade em lugar da qualidade. é uma pena, mas serve de fato como um "starting point".

Isadora,

eu estudo psicologia na unb e caso vc tenha algum interesse em especial posso tentar, dentro do possível, te dar alguma dica de quem procurar!

Abraço!

alemdoreflexo disse...

Diante de tantos comentários interesssantes, aí vai um comentário bocó:
Que bom que eu estava certa :). Sabia que se você escrevesse sobre o tema ia sair um texto interessante e ia ajudar muita gente =D
Pensei em outra coisa : além do contato do(a) orientador(a) e pessoas do programa no site do mesmo ou na CAPES, pode ser uma boa usar a Plataforma Lattes pra dar uma olhada na que seu/sua possível orientador(a)e pessoas ligadas ao Programa andam publicando...

Marcus Vinicius Alves disse...

Isadora, não pensei em escrever sobre o PDD, mas se for de interesse, posso ver sim.

Valeu, André.

Bem lembrado, Julia. Eu não citei a plataforma lattes por dois motivos: 1) Tem dado muitos problemas; 2) Os sites de pós normalmente colocam o link dos lattes dos professores, mas é bom reforçar que é um procedimento muito relevante.

mestrados disse...

obrigado por esta publicação!!

doutoramento disse...

obrigado por esta publicação!!

Mestrado Educação disse...

obrigado por esta publicação!!

Unknown disse...

Excelente post, me esclareceu muito, vou seguir suas orientações, muito obrigada!

Joyce Moura disse...

Quero fazer uma pós em Psicologia Organizacional, não tem no Pará, vc teria uma indicação?

Mestrado em Direito disse...

Muito obrigado pelas informações.!!

Unknown disse...

Ola, gostaria muito (muito mesmo) de fazer um mestrado mostrando os possiveis efeitos da alimentação sobre o comportamento (na verdade gostaria de pesquisar sobre alergias cerebrais, mas o aberta dentro de todo este tema [comida x comportamento]). Mas ando meio perdida em como procurar um orientador que esteja interessado neste tema, não estou sabendo como procurar. Você pode ajudar? Obrigada!

Enfermeiradeplantão disse...

Uma dúvida: sabemos que ao término da graduação em psicologia obrigatoriamente deve-se optar por uma abordagem e a partir daí a busca por uma especialização para atendimento no caso dá opção por psicologia clínica.
Minha pergunta seria se um profissional que deseja praticar a clínica com determinada abordagem poderia abrir mão dá especialização e partir direto para um mestrado? O interesse nesse caso seria o de poder clinicar e simultâneamente seguir carreira na pesquisa...

Unknown disse...

Minha dúvida é em relação ao aproveitamente do mestrado, tenho interesse em concurso publico, e muitos o mestrado conta ponto, então vou fazer para isso, mas o mestrado que tem aqui na minha cidade ( universidade Uenf) é um programa interdisciplinar, que não me parece ser tão especifico para psicologia, então fico com medo de fazer e não ser aceito

só para constar o mestrado é em cognição e linguagem.

se puder me ajudar com alguma dica eu agradeceria muito.

Postar um comentário

Subscribe